Touratech Travel Event: Nações Unidas do Motociclismo

Touratech Travel Event reuniu motociclistas de diversas partes do mundo na Alemanha, com destaque para as mulheres apaixonadas pelo mundo das duas rodas

Texto: Rosa Freitag
Fotos: Divulgação Touratech/Rosa Freitag

Touratech Travel Event

O Travel Event é uma espécie de congresso das “Nações Unidas do Motociclismo de Aventura”. Desde 2004 é realizado, anualmente, em junho, no entorno da fábrica da Touratech na Alemanha, situada no vilarejo de Niedereschach, na bela região da Floresta Negra, com estradinhas cheias de curvas e fácil acesso para os melhores passos dos Alpes e fronteiras com a Suíça, Áustria, Itália e França. Sabe aqueles motociclistas que estão rodando o mundo há anos, que você acompanha pelo Facebook? Ou aquela GS 1200 “Rambler” modificada pela Touratech, ou ainda a Yamaha T7 Concept que você babou nos vídeos, além dos lançamentos que você sonha em ver e pilotar? Estarão todos lá!

Tudo de graça!

A cada ano o evento atrai mais motociclistas de todos os cantos do mundo – este ano bateu o recorde de 15 mil visitantes – para um fim de semana repleto de atrações, para compartilhar experiências de viagem e histórias de vida, testar as últimas novidades em motos, equipamentos, serviços e vivenciar um ambiente perfeito para fazer novos amigos e planejar as próximas aventuras. E o melhor: é tudo de graça, desde a acomodação, em uma grande área para camping com estrutura excelente, até os passeios guiados, test rides, cursos de pilotagem, uso de GPS, palestras e mimos, como tatuagens temporárias.

Uma praça central com um imenso telão e muitas mesas com bancos tem a multifunção de palco, cinema e pub ao ar livre. Herbert e Ramona Schwarz, o simpático casal que comanda a Touratech, está sempre por ali para apresentar as atrações. Na sexta-feira, 9 de junho, ao meio-dia, anunciaram o início do Travel Event 2017 e já havia um grande influxo de visitantes, ansiosos para montar a barraca e começar a diversão.

Touratech Travel Event
Touratech Travel Event

Como chegar a Niedereschach

Os aeroportos de Stuttgart (100 km) e Zurich (80 km) são os mais próximos. Cheguei do Brasil por Stuttgart na sexta, às 10h30, aluguei um carro e, ao meio-dia, já estava na área de camping. De trem levaria umas 4 horas, mas eu não queria perder esse tempo precioso e o aluguel do carro foi barato, U$ 22 a diária. Encontrei o casal de motociclistas amigos do Brasil, Carlos e Virginie, vindos da França – ele em sua Honda 750, que guarda na Itália, e ela em uma F800GT alugada; a brasileira Andresa com a alemã Esther, que conheci no Travel Event do ano passado, vieram de Colônia, cada uma em sua GS 1200, e a espanhola Marta, que mora em Basel, com a italiana Federica, de Trento, vieram juntas desde a Suíça. Montamos as barracas rapidamente em mutirão e corremos para a primeira atração: o saldão!

Saldão de fábrica

Às 14h em ponto, os organizadores abriram as portas do galpão dedicado ao saldão de produtos da Touratech. Muitos correram para a seção das famosas malas de alumínio, outros para os bancos e capacetes, além dos corredores lotados de engradados com bolsas de tanque, bolsas de lona, bolhas e acessórios, separados por marca e modelo, muitos produtos novos, na embalagem, e outros com mínimas marcas de uso. Comprar por menos da metade do preço esses produtos tão cobiçados já vale a viagem!

A nova loja, ampliada e inaugurada este ano, também tinha boas promoções e vale à pena experimentar os conjuntos de viagem, botas, capacetes e acessórios, todos desenvolvidos e testados em campo por Herbert e Ramona, para perceber que o alto custo se justifica pela excelência nos projetos e na qualidade.

Disneylândia do motociclismo

Depois de algumas horas imersa nesse ambiente, a sensação é de estar numa Disneylândia: os brinquedos são emocionantes, alguns têm fila, tem uns que dá vontade de ir de novo, em outros não dá para ir por causa da altura (tenho 1,62 m e pernas curtas!), as lojinhas são um sonho e em um só dia não dá para ir a todas as atrações. Mas são três dias de evento e algumas atrações, como o minicurso off-road da Ducati, e os passeios guiados, podem ser agendadas com antecedência pelo website do passeio.

Touratech Travel Event
Touratech Travel Event

Não fala alemão? No problem!

A maioria das apresentações e workshops é em alemão, mas como o mototurismo de aventura cruza fronteiras por natureza, os palestrantes estrangeiros se comunicam em inglês e os instrutores, guias, expositores e atendentes dos food trucks também. Há tours da fábrica em inglês, mostrando a tecnologia de projeto e a produção das peças específicas para cada moto. O acabamento e controle de qualidade dos bauletos são feitos por mulheres (motociclistas, é claro!) e boa parte da produção é dedicada a peças que equipam as motos já de fábrica, como os suportes de malas laterais da F800GS Adventure e os protetores da Multistrada Enduro.

Não tem moto? Passeie nos test-rides ou faça um curso

São muitas oportunidades para andar de moto. Estavam presentes com frotas para test ride em modelos touring, naked, roadster e big trail marcas como a BMW, Triumph, Ducati, KTM, Honda, Yamaha, Suzuki e Kawasaki, e cada saída era um passeio de meia hora por estradas vicinais com grandes retas e muitas curvas. Bastava levar  CNH e passaporte, e levei também a PID – Permissão Internacional para Dirigir, pois tem o endereço de residência, que não consta no passaporte ou CNH, e que era preciso confirmar no formulário para participação.

Alguns fabricantes, como a BMW, exigiam o uso de equipamento de proteção completo, enquanto a Triumph permitia camiseta e jeans e emprestava o capacete. É necessário agendar horário e modelo desejado e, com pelo menos 10 motos em cada frota, é possível pilotar várias ao longo do dia. As saídas eram a cada 45 minutos, das 8h às 19h.

Pilotei a Triumph Street Scrambler, BMW R nineT Urban G/S, Ducati Scrambler Desert Race e Kawasaki Versys-X 300, e os amigos a Honda Africa Twin, KTM 1090 Adv e R, novas Bonneville T100 e Speed Triple, entre outras!

Curso off-road Ducati Riding Experience

Na semana anterior, me inscrevi pelo site do evento em um minicurso off-road da Ducati Riding Experience (DRE). Em uma pista gramada com obstáculos e várias Ducati Multistrada 1200 Enduro sem os retrovisores e com pneus off-road, Beppe Gualini, instrutor-chefe da DRE, que já participou de vários rallyes Dakar, nos recepcionou. Misturando inglês e italiano, demonstrou os conceitos básicos para comandar uma big trail por esses obstáculos.

As oito motos para o grupo estavam com o banco baixo, e consegui tirar a moto do apoio lateral e apoiar num pé só, condição suficiente para sair pilotando em pé e me familiarizar com a motocicleta fazendo slalom entre os cones. Beppe estava sempre de olho, corrigindo a técnica, e insistiu comigo e com a Virginie para abrirmos mais as pernas para fazer o contrapeso, causando risadas gerais, mas foi uma dica valiosa. Boas dicas também de posicionamento para passar por obstáculos que desestabilizam a moto. Ficamos na pista por meia hora, a motocicleta me surpreendeu pelo jeito maleável e foi uma ótima amostra do que Beppe e sua equipe oferecem nos cursos de fim de semana da DRE, em Bolonha. Depois, ainda rolou um passeio de meia hora pelo asfalto, em outra frota de motos com pneus street e o banco padrão.

GS Trophy, também é aqui!

A final da qualificatória para a equipe alemã que irá para o BMW GS Trophy em 2018, na Mongólia, também ocorreu no Travel Event. Com 300 inscritos, o camping ficou repleto de motos BMW com number plates, pneus cravudos e roadbook, destacando-se várias R1200 HP2 e G650 XChallenge, modelos de mais de uma década que se tornaram cult e as preferidas de quem leva o off-road a sério. Após o roteiro planilhado e um circuito de enduro, os 10 melhores foram convocados para um circuito na nova R1200GS Rallye no fim da tarde do sábado com uma grande plateia e transmissão no telão da praça central.

Marion Linder, representante feminina que bravamente se classificou entre esses 10, foi incentivada com entusiasmo, e cada ação dos competidores era narrada do alto de um morrinho no meio da pista por Tomm Wolf, o “Mr. GS Trophy”, idealizador e diretor da prova. À noite, os três melhores entre esses 10 finalistas e as duas mulheres com melhor classificação geral foram chamados ao palco para a consagração, e assim foi definida a equipe alemã. As mulheres ainda participarão de outra seletiva para formar uma equipe feminina internacional, em local ainda não anunciado.

O Brasil não participará dessa próxima edição do GS Trophy, o que é lamentável, pois nossa equipe teve ótimo desempenho em 2016, na Tailândia, e particularmente frustrante para mim, pois a partir desta edição as qualificatórias nacionais selecionam mulheres em uma categoria distinta. Na torcida para que em 2019 nossa subsidiária opte por participar.

Para fechar a noite, a estreia do filme “Soul Shelter”, gravado na Austrália, fascinou a plateia com imagens incríveis da última aventura de Herbert e Ramona. “O Travel Event se tornou um imenso ponto de contato para motociclismo e viagens. Se conseguimos inspirar as pessoas a fazerem isso, ficamos extremamente felizes”, é a conclusão final de Herbert Schwarz.

Silvio Colafemina, proprietário das lojas da Touratech no Brasil, também comentou sobre o evento. “Em junho de 2009, eu e meu filho Gabriel estávamos na cidade de Tuttlingen, na Alemanha, para um evento de máquinas na empresa Chiron, fabricante de Centros de Usinagem, e fomos com um amigo visitar a Touratech para conhecer a referência mundial em acessórios para moto aventura. Chegando lá, nos deparamos com um evento grandioso: o Travel Event da Touratech, conhecido mundialmente. Após a visita, fomos apresentados ao Herbert Schwarz, que já era conhecido do nosso amigo, e começamos a conversar sobre a possibilidade da distribuição dos produtos Touratech no Brasil. Depois da assinatura de contrato, iniciamos a operação em 2009, na cidade de Joinville (SC), por ser a sede operacional do grupo”, comenta Colafemina.

RESERVE A DATA: o próximo Touratech Travel Event acontece de 8 a 10 de junho de 2018.

VEJA TAMBÉM: Roteiro: Viagem para Madagascar – Parte 1.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA