Evento encanta e surpreende pelo belo roteiro de aventura pelo país

Por: Cláudia Terra
Fotos: Cross Egypt Challenge/Mohamed Hassan Amin

Cross Egypt Challenge

O Cross Egypt Challenge é um passeio de aventura que reúne scooters e outras motocicletas em uma viagem de vários dias por belas paisagens do Egito. O objetivo do cross não é a competição, já que quem completa o trajeto recebe um certificado de participação. A maior meta deste evento, que começou a ser realizado em 2011, é promover o turismo no país das pirâmides. De acordo com a Assessoria do CEC, o fundador do Cross Egypt Challenge é Ahmad Elzoghby, um empresário que viu no esporte de aventura com motos a união perfeita para divulgar as belezas do Egito.

“Ele queria ajudar o setor egípcio de turismo, criando um rally internacional de cross-country que destacasse e mostrasse o melhor do Egito. Mais tarde, formou uma organização chamada Cross World Challenges para gerenciar o rally, e logo começou a gerenciar e oferecer outros passeios de aventura exóticos em outros países, como o Cross Arábia Challenge, Cross Índia Challenge e Cross Egypt Challenge. Planejamos lançar nossos passeios na África em 2018. Oferecemos dois passeios exóticos na Índia, pela trans Himalaya, com visita à estrada mais alta do mundo e outro passeio cultural e turístico por Rajasthan (terra dos Maharajas)”, relata a assessoria.

Mais de 28 países participaram das temporadas deste super desafio. “A maioria dos pilotos do CEC vêm dos EUA, Austrália e Canadá. Já tivemos participação de pilotos do Brasil, e queremos ser mais conhecido nesse país. Eu suponho que exista uma enorme comunidade de motociclistas pronta para as aventuras no Egito”, diz a assessoria do CEC.

O trajeto é o mesmo para motos e scooters, porém, são duas formações diferentes, que seguem horários alternados, cada modalidade segue o seu ritmo. Ambos se encontram nas paradas para o almoço, abastecimento de combustível, e chegam a cada destino juntos.

Dados

A edição de 2017 aconteceu de 12 a 21 de outubro, e teve um total de 2.490 km rodados. O evento reuniu 28 scooters a partir de 150cc até 600cc, e 10 motocicletas a partir de 400cc. Os modelos principais foram Honda CB 400, Kawasaki 1400GTR, Honda Goldwing FB6 1800 e BMW K1300GT. No roteiro teve passagem por belas paisagens do deserto e paradas em locais turísticos famosos do país, como na região das pirâmides, em trechos com estradas boas e ruins e, em poucas áreas, teve até um pedaço sem estrada.

Cada temporada do rally introduz uma nova rota em todos os pontos mais famosos do Egito, passando por novos caminhos que lavam aos belos pontos turísticos da terra da Cleópatra. Motociclistas experientes ou não se reúnem para o Cross Egypt Challenge. Para participar desta aventura, basta ter uma experiência mínima de 6 meses de pilotagem de moto ou scooter. O CEC reúne pilotos com diferentes níveis  técnicos e,  apesar de eventualmente ter  pilotos  profissionais, de  modo geral os participantes são motociclistas que gostam de fazer viagens longas pela aventura e diversão, não são pilotos profissionais de competição.

O evento não é de competição, como já mencionado. Ele reúne motociclistas de várias idades e gêneros. ”Exigimos uma experiência de condução de no mínimo 6 meses para participar do CEC. Alguns dos que participaram nos últimos anos são ávidos viajantes do mundo e exploradores que rodam com suas motocicletas. Também temos novatos loucos para começar na aventura em duas rodas em longas viagens”, explica a assessoria.

Atrações não faltam

Há muitos atrativos importantes neste evento, mas talvez o que mais surpreenda seja o fato dele dar destaque a participação de scooters. É quase improvável imaginar este pequeno e ágil veículo de duas rodas, que quase sempre é usado para curtos passeios na área urbana, estar presente em uma longa aventura de quase 3 mil km, passado por  estradas de  asfalto e terra como as tradicionais motocicletas. Entretanto, foram justamente os scooters que deram início ao CEC, e são o grande destaque do evento.

“A ideia era criar um desafio de aventuras com máquinas que não são projetadas para fazer isso (como scooters menores), para atravessar o deserto e fazê-las realizarem isso. É uma daquelas cenas emocionantes, onde você roda com sua moto até o limite. Nós adicionamos motocicletas de outras cilindradas mais tarde. É muito mais fácil fazer o Cross Egypt Challenge em uma motocicleta, mas a verdadeira aventura continua a ser em fazê-lo em um scooter”, revela a assessoria do CEC.

De fato dá para imaginar que, fazendo essa viagem em scooter, você terá o dobro de aventuras. Como explica o experiente motociclista egípcio e louco por Harley-Davidson, Mohamed Hassan Amin. Ele tem em sua história mais de 30 mil km rodados em H-D por alguns países do Oriente Médio.

“É desafiador rodar 2.500 km em um scooter. Para um motociclista, isso é um fator muito estimulante e divertido. Parte das estradas estavam em construção e nem sequer compactaram, então foi difícil passar nessas áreas. Havia, também, trechos que exigiam muita atenção, não permitindo você  olhar em volta para apreciar o cenário. O cross é um desafio, portanto, sempre tem alguma dificuldade envolvida. Estar em uma longa viagem em um scooter foi um duplo desafio em nível pessoal, já que eu nunca ando de scooter. Porém, ter participado do cross permitiu que eu desfrutasse do meu próprio país e mostrar que o Egito é seguro e agradável para todos os meus amigos. Em 2018, desejo participar com  um scooter novamente, mas, para isto, dependo da disponibilidade de tempo em  meu trabalho. Gostei da organização e dos participantes, adorei a diversidade de seleção do roteiro e do cenário natural com mistura da cultura local. Não queria que a aventura  terminasse, meu desejo era continuar por mais dias para rodar por mais algumas áreas”, conta Mohamed, que participou do CEC com um scooter SYM 150cc.

Traçando a rota

O desafio começa sempre a partir da segunda maior cidade do Egito, Alexandria, sede do evento. O roteiro leva a aventura para o leste da cidade do Mediterrâneo, a pequena Port Said, uma das cidades portuárias mais ocupadas do Egito e o portão para a África. A partir daí, o percurso segue para o sul, na costa do Mar Vermelho. Rivera passa por Ain Sokhna, Hurghada e Marsa Alam. Após completar os estágios costeiros, o roteiro segue para a parte seca, cortando o deserto oriental egípcio, um dos desertos mais difíceis de se encarar devido às suas formações rochosas e cadeias de montanhas para chegar até ao vale do Nilo e à antiga cidade de Luxor, que conta com um museu ao ar livre, e é a capital do antigo Egito. Aqui, os pilotos passam um dia extra para descansar antes de completar as últimas três etapas.

A partir de Luxor, os pilotos seguem para o oeste, para explorar o Oásis de Kharga, ao lado do grande mar de areia do Sahara, depois retornam para o vale do Rio Nilo para fazer uma última parada entre Minya e Cairo, próximo das grandes pirâmides de Gizé, onde o evento é finalizado e os pilotos recebem suas premiações de conclusão das etapas  neste  belo cenário, o mais  famoso do Egito.

A temporada 2017 do Cross Egypt Challenge incluiu uma trilha de resistência que atravessou belos lugares do Egito, com cidades modernas, resorts costeiros, praias, locais históricos, deserto oriental egípcio e Vale do Nilo. Foram 10 dias de viagem, rodando uma média de 270 km a 385 km por dia, com direito a paradas em belos locais e realização de atividades extras para divertimentos. As hospedagens aconteceram em hotéis de luxo, com 3 e 5 estrelas, e até em acampamentos (neste caso, a organização fornece todo o equipamento de camping).

“Em cada destino, os pilotos dormem em um hotel, com exceção de um local a cada ano que escolhemos para que eles possam acampar no deserto ou na praia. Após as chegadas, sempre na parte da tarde, os pilotos têm tempo livre para explorar o local de parada por conta própria, aproveitar a praia, piscina ou participar de um passeio organizado, oferecido por nossos parceiros de viagem”, revela a assessoria.

0 km DIA 1 / Reuniões de orientação e cerimônia de lançamento oficial
270 km DIA 2 / Alexandria – Port Said
290 km DIA 3 / Port Said – Ain Sokhna
260 km DIA 4 / Ain Sokhna – Hurghada
255 km DIA 5 / Hurghada – Marsa Alam
350 km DIA 6 / Marsa Alam – Luxor
0 km DIA 7 / Dia de descanso em Luxor
365 km DIA 8 / Luxor – Kharga Oasis
385 km DIA 9 / Khabi Oasis – Minya
315 km DIA 10 / Minya – Cairo
2.490 km DISTÂNCIA TOTAL

 

Várias parcerias

O Cross  Egypt Challenge tem parceria com a Egyptian Ministry of Tourism, Egyptian Tourism Authority, Automobile & Touring Club of Egypt e Rotary Club of Alexandria Cosmopolitan. Os principais patrocinadores são o Cairo Marriott Hotel e a Total (que atua em vários países, inclusive no Brasil, no setor de combustíveis), entre outros apoiadores locais. O evento tem apoio nas cidades que integram o roteiro. “Muitas cidades em nossa rota oferecem recepções oficiais aos pilotos. Essas recepções são sempre fornecidas pelo prefeito da cidade ou governador”, explica a assessoria do CEC. O evento também tem apoio dos moto clubes do país, em especial dos grupos de Alexandria, que participam da primeira etapa da CEC todos os anos, partindo de Alexandria.

Além dos scooters, outro grande destaque do Cross Egypt Challenge é a segurança e os serviços disponibilizados pela organização durante as viagens, como serviços mecânicos, médicos, alimentos e bebidas. “É uma grande estrutura de apoio aos participantes do evento. Em média, temos 6 caminhões de apoio e veículos de carga com  suas funções específicas: 1 caminhão de transporte de combustível equipado com tubos de alimentação para abastecer os veículos em qualquer lugar da estrada; 1 caminhão de carga gigante para transportar suprimentos, peças sobressalentes, alimentos e bagagem dos participantes; 1caminhão para transportar qualquer veículo quebrado, além de carros com equipe fotográfica, vídeos, etc”.

“O número de veículos aumenta ou diminui com base no número de participantes por temporada, mas a média é de 6 carros.  Os pilotos são sempre acompanhados durante as  viagens pelo suporte do evento. Em média, cerca de 20 pessoas estão envolvidas na execução de toda a operação”, explica a  assessoria. A organização também aluga scooters de 150cc e motocicletas de 600cc e de 1000cc para  os pilotos de vêm de outros  países.

As inscrições para a edição de 2018, que será entre 11 e 20 de outubro, estão abertas. Para o próximo evento, a organização promete criar roteiros mais emocionantes e também existe a possibilidade de  incluir  carros 4×4.  O Cross Egypt  Challenge é um evento único para quem ama aventura em duas  rodas, com  rotas  de  surpreendentes paisagens naturais, culturais e  históricas no milenar país dos faraós.

 

Perfis indicados:

http://www.crossegyptchallenge.com/

 

*Cláudia Terra é jornalista, motociclista e amante do universo Harley-Davidson. Para segui-la, acesse:

http://entusiastaadventure.blogspot.com.br

https://www.facebook.com/EntusiastaAdventure/

#cmdterra 

 

VEJA TAMBÉM: Conheça o Beach Bikefest: Um dos maiores eventos motociclísticos do Egito.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here